Por que limpar assinantes de seu banco de dados de e-mails

Uma das coisas que aprendemos nos últimos anos e que melhores resultados nos deu é jogar fora o que não vale. Colocar corretamente o foco e conseguir, com isso, uma ótima orientação para os resultados (e, portanto, medi-lo e testarlo tudo) deve ser o nosso principal aliado. E para isso é necessário fazer uma limpeza e uma análise profunda de nossa base de dados, ao menos a cada 6 meses (tudo depende de sua cadência captando assinantes).

A grande maioria das pessoas se lançará as mãos à cabeça. Respeito aqueles que procuram apenas volume e alimentam o seu ego com o dado. Mas nós buscamos resultados. E os resultados não se obtêm com volume e sim com a mistura certa de volume e qualidade. Pense nisso, de que serve ter 20000 usuários se não interagiram com você desde que se inscreveram ou há mais de 6 meses? Sim, no momento em que gostariam de receber nossas notícias, mas depois o seu dia-a-dia está repleto de informações, mais ou menos útil, que lhes faz esquecer rapidamente se haviam inscrito em um site ou para outro.

Otimizar seu banco de dados

Se não quiser ter a ninguém que não esteja realmente conectado. No Inbound nos interessa manter um volume elétrica, mas, acima de tudo, ligado de usuários. Se o usuário não estiver conectado, não poderemos usar para fazer campanhas de lead nurturing. Assim, sem ter otimizar esse volume de dados e, o que é pior, usá-lo, só vai gerar piores métricas nos resultados.

Colocar foco

Isso não é uma competição por obter todos os usuários do mercado. É um projeto que precisa de resultados e, por tanto, se pensarmos em resultados, tudo o que nos separe destes deve ser eliminado. Não há nenhuma razão de peso para manter um usuário que não tem interagido com a gente nos últimos 6 meses. E se não há nem uma mínima evidência de que o usuário vá para ativar, de repente, um dia não desperdice esforços os que não levaram a nada e duplica os esforços que se têm feito.

Métricas corretas

Nos obcecados sempre com as métricas erradas. Isso não se trata de “taxa de abertura” ou “ctr”. Trata-Se de perguntar-se qual a percentagem de usuários que abriram uma das últimas 20 comunicações interagiram de alguma forma com o último e-mail. Uma reflexão importante: nunca pense em todo o conjunto de dados, pense em conjuntos ativos de dados.

Experimentação contínua

Um dos grandes princípios a interiorizar em digital é a experimentação. Se falamos de experimentação também estamos falando de eliminar aquilo que não está funcionando e tentar uma outra coisa. Esse processo cíclico de aprendizagem que não devemos nunca perder de vista, porque é o que faz grande a este meio. É o que eu gosto de contemplar, da seguinte forma e que marca absolutamente tudo o que fazemos:

Grafico processo de validação de conteúdo

Preço

É a última razão e não a menos importante. Sim, o preço. Hubspot, Addtoany e a maioria de fornecedores que trabalham sobre e-mail marketing cobrados por volume de nossa base de dados. Assim que mantê-la pequena , será mais interessante, se possível, para não arruinarnos com pessoas que nem sequer precisamos.

Se eu animado para começar a apagar assinantes, audita a sua base de dados com alguma ferramenta como DataValidation e elimina os usuários com um score negativo. Não se preocupe!

Artigos relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on tumblr