10 passos para se tornar um verdadeiro storyteller

De acordo com o calendário editorial, eu tenho que escrever um post sobre “Fórmulas para praticar o storytelling”. Para me ajudar, me facilitam o link de uma publicação norte-americana que começa dizendo If Don Draper tweeted.

10 passos para se tornar um verdadeiro storyteller

Não continuo a ler.

Estou particularmente cansado de as cabeças não-pensantes de projetos digitais que assinam textos que começam com If Don Draper.

  • If Don Draper made poop with an iPad.
  • If Don Draper danced as an asshole in his Christmas dinner.

Sério. Já basta.

No caso de que Don não fosse um personagem ficcional propriedade da AMC, jamais leria esse tipo de artigos.

E os que os escrevem estão no meridiano oposto ao protagonista. Você só tem que observar a caixinha com o seu bio e foto de perfil: geeks. Geeks com vidas vazias, repletas de aparatitos e tempo livre para inventar 21 maneiras diferentes de escrever um caralho tweet.

A única lição possível do aspirante a storyteller ou contação de histórias, como se lhe conhecia antes desta invasão yankee de conceitos pré-existentes em nosso léxico, é: TENHA ALGO para CONTAR.

Se você conseguir, você vai começar a se divertir procurando início, nós e resultados; ou indo diretamente ao Leitmotiv; ou alterando os pontos de vista; ou fechando com um final Hemingwayano que não deixe claro exatamente o que aconteceu.

Não incurras em erro, muito comum em nossos dias, de pensar na forma que no fundo. De comprar a mochila que fique melhor em seu perfil do Instagram, antes de saber com que carregá-la. De gravar a sua música favorita em directo antes de corearla.

Nota do autor à metade da página: Chegou até aqui, levantei a vista do ecrã e, em curso, portátil na mão, os cinco passos que me separam da mesa do CEO de Socialmood.

conversa

Como se tornar um verdadeiro storyteller em dez passos

  1. Vista-se para matar.
  2. Sai de casa e deixa para trás qualquer engenhoca. Só se permite levar um relógio de ponteiros e, forçando um penknife.
  3. Não se pergunte para que serve um penknife. Seu nome indica.
  4. Saia da zona de conforto de seu bairro. Entrar em um bar lotado.
  5. Fica oco o fundo da barra e pede um mosto. Necessita de seus sentidos em alerta.
  6. Observa os paroquianos com detalhe.
  7. Paga para o mosto, volte para a rua e encontre a loja mais próxima.
  8. Pergunte ao ferretero por aplicações de cada ferramenta que não sabe até que sentisse que começa a odiarte.
  9. Ensina o ferretero seu penknife e invítale para tomar um suco no bar mais próximo. Memoriza a sua resposta.
  10. Ele chega em casa, acende a engenhoca mais confortável se é para escrever e publicar um post no Facebook e trees tweets relatando a sua experiência e conclusões. Não custa repeti-los.

Artigos relacionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on tumblr
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on tumblr