A fórmula 4-1-1 em Marketing de Conteúdo: dividir e conquistar

Um dos pontos mais complicados ao focar uma planificação de conteúdos é conseguir combinar frequência e qualidade.

Discutimos, quando falamos sobre a fórmula 70-20-10, que há uma estreita relação entre a frequência de publicação e o tráfego. É lógico, já que aumentamos o long tail, o interesse do Google para a página e, o mais importante, o envolvimento com o usuário.

70-20-10

Mas há que ter cuidado, porque, quando falamos de aumentar a frequência, nunca podemos fazê-lo reduzindo a qualidade. Melhor um post por mês de qualidade, bem segmentada e resolvendo os problemas de nossos usuários, que 30 produzidos de qualquer maneira.

Não gostamos muito das regras, mas há uma série de táticas que funcionam muito bem na hora de planejar pesos e tipos de conteúdos. Baseados na regra 4-1-1), popularizada há já alguns anos por Tippingpoint Labs e Joe Pulizzi e usada por Marketo em suas estratégias de lead nurturing (que fala sobre como definir um bom planejamento de conteúdo em e-mail), temos a seguinte estrutura:

Gráfico pesos 4-1-1

4: Conteúdos regulares / novos

A maior parte de nosso conteúdo será conteúdo útil, que funciona e que é simples de gerar (com o que já estamos mais familiarizados). Por exemplo, que se escreva em menos de uma hora e que sejamos capazes de ser consistentes com esta geração de conteúdo sem prejudicar nunca a qualidade do mesmo.

Saiba Mais:  Marketing de Conteúdo vs Inbound Marketing

1: Republicar o conteúdo antigo

De cada 6 conteúdos, 1 tem que ser republicado ou otimizado de um conteúdo antigo. A chave para uma boa estratégia de conteúdo é a de tentar, por todos os meios, de otimizar continuamente o conteúdo antigo, de forma que siga gerando tráfego durante a maior parte de tempo possível. Assim, continuaremos a capturar leads e gerando novos prospects de forma recorrente.

1: Conteúdo especial

Também, a cada 6, 1 tem que ser especial. O que chamamos de especial? Peças de conteúdo diferentes. Por exemplo: checklists, worksheets, apresentações, costeletas, etc., Qualquer pedaço de conteúdo que envolve a geração de um documento para download do utilizador.

Estas peças irão sempre associadas a um post e irão segmentados para a buyer pessoa que queremos impactar com esse conteúdo.

Um conteúdo, além disso, que deve ser diferente, original, longe de nossa linha normal e que surpreenda o usuário. É aí que a cobra protagonismo o pensamento lateral: deixar sua mente voar e fazer coisas com as quais não tenha a segurança de saber se vai funcionar ou não.

Planejamento de conteúdos 4-1-1

Artigos relacionados

As 21 melhores frases sobre Marketing de Conteúdo

Como desenvolver uma estratégia de marketing de conteúdo

Como criar um Plano de Marketing de Conteúdo

Regras para fazer Marketing de Conteúdo

Marketing de Conteúdo vs Inbound Marketing

Dominando a difusão de conteúdos em sua estratégia de marketing de conteúdo

8 erros que vão fazer você fracassar em Marketing de Conteúdo

8 exemplos de marcas que fazem um grande Marketing de Conteúdo

27 dicas para escrever um bom post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.